Aprendendo

Pedro empurrou o Joaquim que se desequilibrou e caiu de bumbum no chão. A avó que presenciou tudo o repreendeu:
– Pedro, não empurre seu irmãozinho. Ele ainda é pequeno.
– Vovó, ele precisa aprender a se equilibrar na vida!

(Pedro, 4 anos e Joaquim 1 ano)

 
 

Filosofando

– Vovó, o carro está indo pra frente, ou mundo está ficando pra trás?
– O que você acha, Arthurzinho?
– Acho que o carro está indo pra frente e o mundo está ficando pra trás.

(Arthur Roberto, 5 anos)

 

Procura que acha

A mãe falou pra ela comer e parar de assistir televisão, mas nada da Camila obedecer. Até que depois de pedir varias vezes ela tomou o controle remoto das mãos da Camila e disse:
– Muito bem, mocinha. Agora come! E eu só vou te devolver este controle remoto quando eu achar oportuno!
Então a Camila abriu um berreiro e perguntou:
– E onde está esta tal de ‘portuno’?

(Camila, 3 anos)

 

Consolo

Estávamos todos no quarto conversando quando minha mãe começou a chorar. Meu irmão viu minha mãe chorando e ofereceu o doce que ele estava comendo:
– Come, mamãe. Para passar a dor.

(Vitor, 4 anos)

 

Defesa

– Júlia, pegue a Alice senão o ventilador vai cair em cima dela.
– Ah, mãe, deixa cair. Assim ela cria anticorpos…

(Julia, 10 anos e Alice 10 meses)

 

Parquinhologia

Francisco enterrou uma tartaruguinha de brinquedo no parquinho e a deixou lá. Na semana seguinte, ele se lembrou da tartaruga e foi cavar para procurar. Cavou, cavou, cavou tanto que praticamente tomou para si todo o espaço da areia. Foi então que se aproximou um bebezinho e começou a jogar areia no imenso buraco que ele fazia. Ele olhava para o bebê e não dizia nada. Ele cavava e o bebê jogava a areia de volta. Até que ele suspirou, olhou em volta e perguntou num tom impaciente, mas sem irritação:
– Quem é mãe desse bebê?
Uma moça, meio sem graça, disse que era ela. E ele disse:
– A senhora pode avisar seu bebê que ele está atrapalhando o trabalho da ciência?
A mãe, já rindo, perguntou que trabalho era esse. E ele:
– Uma escavação arqueológica. Estou procurando os restos fossilizados de uma tartaruga pré-histórica! E seu bebê está me atrapalhando!

(Francisco, 7 anos)

 

Quase

– Papai, o que é tumitinhas?
– Tumitinhas, filha?
– Sim, papai. O que é tumitinhas?
– Mas onde você viu isso?
– “O amor que tumitinhas era pouco e se acabou.”

(Maria Luiza, 3 anos)

 

Produto

Estávamos deitadas em minha cama e vi uma espinha no rosto da minha filha. Não resisti e espremi. Ao sair o líquido eu disse:
– Que nojo!
– A mãe está espremendo minha espinha e queria que saísse o quê? Glitter?

(Kauany, 12 anos)

 

Experiências

Na sua primeira viagem de avião, o Eduardo estava bem ansioso e falante. Quando o avião decolou ele ficou quieto e com uma cara de assustado. Eu perguntei:
– Dudu, tá tudo bem?
– Sim, mamãe. Eu só estou sentindo um pouco de tontura na barriga.

(Eduardo, 4 anos)

 

Cardápio

– Anna, você engoliu seu dente?
– Engoli, Heloá.
– Mas pode?
– Minha mãe disse que nossos dentes são de leite.
– Nossa, deve ser uma delícia. Quando o meu cair também quero comer.

(Anna, 6 anos e Heloá, 5)